terça-feira, janeiro 30, 2007

ERA UMA VEZ.............



GIO:
Este cachorro chama-se BOLINHA.
Aventurou-se a subir uma escada que dá para um terraço, de onde subiu a um toldo.
O toldo estava molhado e era inclinado e o bicho veio de escantilhão por ali abaixo, aterrando no chão.
Também foi ao médico. Tinha partido uma perna. Andou como se pode ver na foto. Isto foi em Dezembro.Agora já está OK.


As minhas dietas- ou melhor: a minha alimentação vai indo normalmente.

A balança apanhou o jeito aos mesmos números. Deve estar avariada ou com preguiça para oscilar…para baixo.

E o que não tem remédio……..remediado está!!

Querem espreitar o meu pratinho?

******************************************************************

Ora cá vai mais uma história. Podia começar: Se bem me lembro…..

Mas a verdade é que, desta, também me lembro bem.

Foi algum tempo antes de ir para a escola.

Vivia numa aldeola, numa casa térrea, à beira da estrada. A casa à frente tinha um pedaço de terra com uns canteiros de flores e um caminho empedrado, que ligava a porta ao portão à beira de uma estrada municipal. Do outro lado da rua havia um descampado e um caminho que ia ter a uma vacaria, (e que eu via ainda ao longe).

Era lá que a minha mãe ia todos os dias, à tarde, buscar o leite para o meu lanche e para a manhã seguinte.

Por fora das janelas de vidro havia 2 meias portas de madeira, com ripinhas inclinadas e que naquela altura serviam de persianas.

Assim que a minha mãe me dizia onde ia e batia a porta da rua, eu corria para o quarto dela. Esborrachava o nariz contra o vidro e espreitava pelas ripinhas.

Logo que a via atravessar a estrada, abria a porta de baixo da mesa de cabeceira e tirava de lá os melhores sapatos da minha mãe. Eram a minha grande paixão: Pretos, de camurça debruados a verniz. Á frente tinham uns recortes feitos na camurça, estilo uma florinha com 4 pétalas , por onde se via, um enfeite de verniz preto que estava por baixo. Calçava-os. Depois ia ao guarda vestidos e tirava a mala a condizer.

Dava por ali umas voltitas, devidamente enfeitada, mirava-me ao espelho e gostava do que via. Era todos os dias a mesma cena.

Um dia, ou ela veio mais depressa ou eu me atrasei na passagem de modelos….

Ouvi-a entrar e escondi-me.

Ela chamou-me e eu não respondi.

Procurou atrás das portas,( porque eu gostava de jogar às escondidas). Ia aos roupeiros e não me via.

Chamava-me cada vez mais alto. Eu…. Toda encolhida.

Mas, de repente, eu vejo-lhe os pés. Espreitou para debaixo da cama. Viu-me.

Puxou-me por um braço.

Vim eu, os sapatos nos pés e a mala na mão.

Levei um valente puxão de orelhas . O pior foi que, logo de seguida, calçou os sapatos e eu, de tanta vez os calçar, já lhes tinha partido as almas. Os sapatos estavam todos desengonçados, com o salto a virar para trás.

Levantou-me a saia e pregou-me duas valentes palmadas.

E nunca mais houve sapatos para ninguém.

**********************************************************************

Era Jeitosa!!!

Não era má….mas os brinquedos eram poucos e eu precisava de brincar.

Podem ficar descansadas que já falta pouco para acabar as minhas memórias

Boa semana para todas

12 comentários:

Bolota disse...

Querida turbolenta, como eu gosto de ler as tuas memórias.... espero que tenhas ainda muitas mais para nos ires contando.Obrigado por partilhá-las connosco.

Bjos :o)

Katty disse...

Amiga gostei das tuas memórias por vezes é bom recordar,beijokas.

m@nelito disse...

Querida amiga, deixe-se disso de dietas que a menina está muito bem!...
Mostre-nos é mais das suas receitinhas...que é disso que gostamos!
uma beijoca!

M em dieta ! disse...

Ola rapariga, ainda bem que a dieta vai bem. Gostei o cascol foste tu que fizes-te? O novelos é que são caritos. Tens muitas historias para contares, fazes bem. *

Mamã Martinho disse...

Essas lembranças são maravilhosas! Fizes-te lembrar-me daminha infância. Eu era pior, melhor era menina. Juntava-me com a minha prima, calçavamos os sapatos de salto das maes, colocava-mos os colares, pulseiras, etc. as malas, e pintavamo-nos todas. Depois passeava-mos pela casa todas contentes a imitar as maes. Acho que é saudável e felizmente nunca estraguei nada (tirando as pinturas) e a minha mãe também nunca se chateou!

Bjs

Mónica

andreia disse...

é bom partilhar as nossas memorias nao é :) e depois da nos akela saudade da nossa infancia...
bjs com carinho

Anónimo disse...

Olá querida,
Por mim podes contar imensas histórias, gosto muito de as ler. :)

Beijinhos grandes

P.S: Já te disse que os teus pratos me deixam com água na boca?!

Mishi

Gioconda disse...

Tadinho do bolinha... é teu? Ou ficaste com ele depois do trambulhão??????

Eheheeh continua as historias que eu adoro ler... belas palmadas.... meus ricos sapatos....

emlinha disse...

continua contando as tuas memórias tá...mtos bjinhs p ti

Estela disse...

Quando leio estas memórias que escreves tudo ao lado se esfuma e só vejo o ecrán do computador, e a sensação que tenho é que estou a ler daqueles livros de histórias super bem contadas, onde quase nos sentimos como personagens...continua
Beijinhos

Miss Slim disse...

Olá Turbolenta ( ainda não te disse mas eu gosto deste teu Nick Name ), vai contando sempre que nos gostamos de ler.

Kiss

Alda disse...

É tão bom recordar os tempos passados, da-nos vontade de voltar para trás e reviver tudo novamente.

Continua a partilhar connosco as tuas memórias, faz-nos bem à alma.

Obrigado, pelos comentários carinhosos deixados no meu blog.

Os enjoos ainda não passaram totalmente,mas vão um pouco melhor.

Beijinhos.

Alda