quinta-feira, março 29, 2007

FUGA ÁS VACINAS

ESTA É TAMBÉM DEDICADA À “CARALINDA”
(Pois li que não gostas de…..)

















O Portão da rua da escola era deste género mas muito mais alto e a "campainha " da porta da rua era um batente de ferro,(como este) só que era uma mão.


PARA QUEM GOSTA DAS MINHAS HISTÓRIAS.
Cá vai mais uma:
1ª classe. Início do ano lectivo.
Dia de vacinas( e sem nos avisarem…..Não era justo!!!)
Parece que estou a ver: Escola nº7 –Torel- .
Um recreio que servia de telhado ao 2º piso( o andar das meninas).
Um lance de escada, ladeada por uns azulejos pintados à mão, Antigos. Lindíssimos (mas eram lindos mesmo!).
Ao fundo dessa escada e um pouco mais à frente havia uma secretária com umas senhoras vestidas com uma bata branca.
Ao entrarem, as meninas, iam à sala de aula deixar as pastas e enfileiravam atrás da dita secretária. A miudagem toda em fila indiana. Braço de fora da bata. A ordem era conforme a altura.
As mais altas atrás. Atrás de mim ainda havia mais 2 ou 3 .
As da frente, ao serem picadas começaram a armar um berreiro.
As outras olhavam. Eu olhei para o cimo da escada e…….agora ou nunca!!! Galguei a escada a correr, atravessei o recreio, passei pela alameda que separava os prédios dos muros do palácio do Torel.
Mas, a meio da alameda……. (Não era hábito….)mas naquele dia o malvado do enorme e alto portão de ferro verde, estava fechado.
Com a bata meia vestida meia pendurada subi o portão. No cimo, alcei a perna e toca a desce-lo pelo outro lado. Atrás vinham mais algumas fugitivas….
Já na outra rua despi a bata.
Só parei em casa.
Bati à porta da rua. (Não era campainha mas sim uma mão em ferro ). Subi.
Veio a minha mãe: “Então? Hoje não houve escola?
Eu: Não. Só amanhã.
Mãe: Onde está a pasta?
Eu: Ficou lá escola para amanhã.

Pois é: A pasta ficou na escola, mas eu lá fui no dia seguinte, sozinha , como de costume, bata vestida e cheia de medo da professora.
Fui recebida com honras de princesa!!
Lol lol lol
Então não é que estava lá, logo de manhã, pela fresquinha, à espera “das fugitivas” aquela alminha da enfermeira, de seringa em punho? E…. sem vacina não ficou ninguém naquela escola.
EU ERA TÃO JEITOSA!
Beijinhos para todas
TURBOLENTA

16 comentários:

Elvira disse...

Caros amigos e amigas,

Como devem ter notado, os blogues de culinária em língua portuguesa estão tornando-se um fenómeno de sociedade. Já podemos até falar de uma verdadeira comunidade de blogueiros e blogueiras que partilham interesses comuns pela gastronomia, as boas mesas, o vinho... Em suma a arte de bem viver.

Todos esses factos incentivaram-me a criar o portal Cozinhas do Mundo: http://www.cozinhasdomundo.com/ que se encontra por enquanto em fase de teste.

Nesse portal vão aparecer diariamente todos os links para os posts publicados pelos autores dos blogues de culinária inscritos (cadastrados), permitindo que qualquer pessoa que tenha interesse pelo assunto possa seguir a actualidade dos seus blogues favoritos numa única vista de olhos. Já existem várias comunidades do mesmo tipo noutras línguas, como a Food Porn Watch(http://foodpornwatch.arrr.net/) em inglês e a *Blog Actu* (http://www.blog-appetit.com/web_appetit/food-blog-news.asp) francesa.

Obviamente, só aceitaremos blogues directamente relacionados com gastronomia (receitas, crítica gastronómica, vinho...) escritos principalmente em língua portuguesa.

Além de querer ser um ponto de encontro para os blogueiros e os apaixonados de comida, o site também contará num futuro próximo com entrevistas de chefes, iniciativas diversas, intercâmbios, etc.

Por enquanto, convido-vos a visitar o site http://www.cozinhasdomundo.com/ e a registar/cadastrar os vossos blogues.

Agradeço desde já a vossa colaboração e amizade.

Um abraço,

caralinda disse...

Olá!!!!!!!!!! Adorei a história real....eu acho que fazia o mesmo!!! Acho que somos parecidas com as agulhas!!! beijinhos

marmol disse...

linda historia!!

nota: no era el cumpleaños de una amiga, era de mi hermana y ella murió hace casi 3 años :(

saludos

Moura ao Luar disse...

Ahah eu chorava que me desunhava, mais pa me darem um chupa do que outra coisa

Várias Paixões disse...

Bem que grande história...eu não fugia só tinha era de começar a chorar duas horas antes e continuava a chorar enquanto me vacinavam pois dava-me a sensação que se chorasse doía menos...mas é horrível custa-me muito ter de levar a minha filha apetece-me chorar na mesma lol.
Beijinhos
Ana

Algodão Doce disse...

Olá!
É só para desejar um optimo Fim-de-semana.
Beijinhos doces

minds disse...

Que aventura!!! Nunca tive medo de agulhas, nem em pekenina...nem fazia cara feia, nem chorava, nem fugia...
O mesmo n posso dizer da ida ao dentista!!!Ainda hoje tremo...
bjitos e bom fim de semana

marmol disse...

gracias por la lección, no me siento triste. Todo lo que sea aprender es BUENO.
Buen fin de semana

Aninha disse...

LOL muito traquina mesmo!!!

Bom fim de semana
****

ximiusa disse...

GANDA NOIA|!!!
moral da historia, se tem k ser que seja no dia a seguir
AHAHAAH

Mishi disse...

Adorei a história, ri que me fartei!! Eras fresca eras! hehe :))

Beijinhos

Bolota disse...

Hehehe!!!
Turbolenta, eras mesmo uma pestinha!!! Adorei a história... o final, então, é de ir às lágrimas de tanto rir!!!

Quanto ao café, não bebo mesmo por causa dum problema de estômago que tenho... será de outra coisa qualquer... agora já estou mais calma... de manhã é que foi pior...

Beijinhos e obrigado :o)

Li (Aline) disse...

Oie..rsrsrs

Eu sempre chorei!!!

Obrigada pela dica!

bjos e bom final de semana!

Alexandre disse...

Acho que as vacinas são uma espinha atravessada nas gargantas de todas as crianças - depois descobrem que afinal nem doeu.

Eu lembro-me que antes de ir às vacinas fazia quase de propósito para me constipar pois quando estávamos constipados não podíamos apanhar as vacinas porque não faziam efeito - acho que era isso - agora nem sei como é, mas acho que nem uma boa constipação safa os miúdos de hoje de apanharem as vacinas, heheh...

Beijinhos!!!

Vladimir disse...

Também eu tinha muito medo das vacinas....Como era sábado, o Vladimir inspirou-se e decidiu dar forma ao pensamento.

kuka disse...

Não me admira que isso acontecesse com crianças. Vi marmanjos com vinte anos a tentar fugir às agulhas. A tentar, porque tinham que as levar de qualquer maneira.