segunda-feira, outubro 15, 2007

JARDIM DO TOREL- LISBOA

Este é um dos vários jardins miradouros de Lisboa.

Muito interessante pela zona envolvente, pela paisagem que daí podemos disfrutar sobre Lisboa antiga, tendo como pano de fundo o rio Tejo.

Fica a dois passos da Baixa lisboeta.

Quem quiser, estando naquela zona da cidade, e tomando a direcção da R.das Portas de Santo Antão( a Rua do Coliseu) pode, chegando ao Largo da Anunciada e aí apanhar o velhinho elevador que nos leva quase ao Jardim.

Depois de o visitar tem uma boa opção para chegar aos Restauradores num instante: desce a escadaria do jardim ,passando pela escola, contorna-a e vai sair à Rua do Telhal. Aí, virando à esquerda, vê logo o trânsito na Avenida a escassos metros.

Por vezes gosto de voltar a lugares onde andei há muitos anos. Fazer comparação com a evolução que os mesmos tiveram (ou não)... de reviver velhas histórias.

E um destes dias tive a “ feliz ideia” de ir dar uma voltinha pela zona onde morei e onde fiz o 1º ano de escola primária.

Para mim foi muito bom! O mesmo não diz o meu filho que me acompanhou !

Houve locais que estavam quase na mesma.

Fiquei triste também. Não imaginei que ao fim de quase 50 anos houvesse 1 papelaria que reconheci com o mesmo balcão, no mesmo sítio, tal como antigamente.

Como é possível nada naquela casa ter evoluído ao longo de tanto tempo?

Ora aqui vão umas fotos.


JARDIM DO TOREL

(Entre o Campo Mártires da Pátria- também conhecido por Campo de Santana - e o Elevador do Lavra )
O Jardim do Torel,( onde eu tanto brincava, bem junto à escola), com uma vista soberba sobre Lisboa, onde havia tantos peixes e patinhos e agora só tem os lagos sem réstea de vida animal
Uma panorâmica sobre o Jardim de São Pedro de Alcântara
E sobre o Rio Tejo, (vendo-se o Arco da Rua Augusta e o Elevador de Santa Justa)
Vista sobre o Jardim Botânico
E do varandim do Jardim do Torel podemos ver a entrada da minha 1ª escola(aquele quadaradinho com 1 porta e duas janelas redondas ,com o telhado bastante inclinado)
E em 2º plano (virado a nascente) :os tais palacetes do Torel.
O da esquerda pertence actualmente ao Serviço Nacional de Bombeiros.
Dele lembro-me de ver, à noite, grandes bailes, e através das enormes janelas eu via os fatos compridos das senhoras a rodopiarem, o que me parecia um conto de fadas.
O do meio não sei o que seja.
O do lado direito pertence à Juventude da Galícia.
E uma parte da "minha escolinha" que sei agora ser uma "escola piloto de Lisboa".
Lembram-se de eu ter falado na história da fuga às vacinas( 29.03.2007)que me recordava da entrada com azulejos pintados à mão, antigos e lindos?
Pois..... através do vidro e de grades não se podem ver melhor...ESta é a Rua do Passadiço. E nesta casa amarelada(a que tem o arco) morava o presidente da República (Craveiro Lopes)
Lembro-me do enorme jardim que tinha nas traseiras e onde brincava com os netos
E em 22.05.2007 contei "uma boca" atirada a um estudante de Medicina.
Pois esta era a antiga Faculdade de Medicina de Lisboa que se situava no Campo dos Mártires da Pátria, bem juntinho ao Instituto de Medicina Legal.
E é no Campo dos Mártires da Pátria que se situa um jardim muito sue- generis
Bicharada não falta: pombos, galinhas, galitos da Índia, cocós, e este peneirento pavão. É um local de reunião de muitos idosos que se reunem debaixo da copas das frondosas árvores para "baterem uns jogos de sueca".E descendo no Elevador do Lavra , a Baixa fica bem pertinhoPor isso ainda tive tempo de entrar na Igreja de São Domingos.
Uma Igreja de Estilo Barroco- construída no século XVIII, segundo projecto de: Carlos Mardel
Manuel Caetano de Sousa, e João Frederico Ludovice.


* * * * * * * * * * * * * * *
Há receita nova em:
http://turbolenta-petiskaky.blogspot.com/





19 comentários:

Gata Verde disse...

Recordar é VIVER minha amiga...

Belas fotos!

maria-joão disse...

Essa é uma coisa que também gosto de fazer, voltar aos lugares que deixei. Os meus meninos ainda não apreciam propriamente. Eu adorava ir aos sitios das recordações da minha mãe e ouvir as "histórias" tipo "aqui estava isto, aqui fazia aquilo"...

maria-joão disse...

Onde é que está a receita do xarope infalivel da tosse que se guarda no frigorifico?

Dharma disse...

Amiga Turb-Ó-lenta, que bela viagem ao passado!, e a mim que bem que me soube rever estas imagens: adoro Lisboa!

Beijinhos

Juanita disse...

olá

pois eu tb sou de lisboa (meia lisboeta, meia cascaense), e prefiro sem duvida esta ultima metade da minha vida!!
vou frequentemente a lisboa, até pq a minha irmã lá mora, e eu gosto de passar no meu antigo colégio (onde 3 dos meus sobrinhos já andaram tb) e ver que está igual!!faz-me lembrar os velhos tempos...tempos em que não tinha problemas ou preocupações, tempos da minha meninice...tempos em que tudo pareçia tão fácil...e agora deixam me saudades...

beijocas

Ana Garras disse...

Eu tenho nos meus planos ir um dia ao jardim botanico e à estufa frioa, nunca fui e adorava ir.
Conheçes?

Boa fotos, já vi que gostas de fotografar, tb eu ;)

caralinda disse...

Não estás nada atrasada, obrigada amiga...beijinhos

Brites disse...

Muito obrigada pela visita e pelo prestígio de fazer parte da família deste blogue.
Agora deixa-me contarte um segredo relativamente a este post: nos meus tempos de estudante (há quase 21 anos atrás... Jesus!) eu fui fazer os exames do 12º a Lisboa! Sendo do norte, foi uma grande "esticada" pois não conhecia ninguém! Bem, nos meus temos livres dedicava-me a passear por Lisboa de autocarro, no tempo em que haviam mapas de orientação em cada paragem... olha... cheguei a apanhar uns 3 ou 4 autocarros para retornar a casa e no meio daquela confusão nunca me perdi!
Adoro Lisboa! Se pudesse era aí que morava!
Beijinhos.

susana disse...

Já acabei de conhecer a tua escolinha :) foi bom "passear" contigo por estes sitios :)
um beijinho de boa semana

Alexandre disse...

Que fotografias óptimas e que roteiro fantástico! Fiquei com vontade de correr para Lisboa e dar uma volta nos sítios que valem a pena e não no habitual aglomerado de gentes e automóveis!

Muitos beijinhos!!!

Anónimo disse...

uma verdadeira turista pedestre pelas ruas de lisboa e nao so...castiça, bonita e a transmitir simpatia..sempre em acção com a makina em punho..a fazer bolos e bolinhos...a comer gelados e geladinhos..como uma criança adulta, turbo es uma querida. beijinhos* donis

Anónimo disse...

é so miminhos..muito querida sim senhor.
donis*

aXifas disse...

Apesar de algumas coisas continuarem iguais, vale sempre a pena visitar os recantos do nosso pais, e neste caso da nossa cidade. Obrigada pelas fotos, dá vontade tb de fazer uma volta a Lisboa.

turbolenta disse...

Resposta a Ana Garras
À Estufa Fria fui há mais de 20 anos e adorei. Ando com uma vontade louca de lá voltar. O jARDIM bOTÂNICO NÃO É NADA DO QUE ERA. cOITADO!votado ao abandono. O piso horroroso. Só mesmo de ténis. E, para fotografar em condições só mesmo entre as 11 e as 14 h.Mas vale a visita quanto mais não seja para ver a colecção das borboletas que acho estar até ao fim do ano. Entrada paga no jardim e para ver as borboletas também.

maria-joão disse...

E onde é que estão os 200 (duzentos) post´s novos que o meu bloglines dizia haver aqui?
Afinal o "milagroso" blog lines também mente com quantos dentes tem! Lolol.

turbolenta disse...

RESPOSTA A MARIA JOÃO
200 posts novos? onde? aqui?
explica que não percebo a pergunta

Bolota disse...

Bolas, bolas, por esta visita guiada não esperava eu!!!

Amiga, eu não quis dizer que o que aqui leio são ideias ultrapassadas ou do tempo do Salazar... muito pelo contrário... o que aqui leio, são histórias antigas que... dum tempo que eu ainda nem existia, mas que eu me delicio a lê-las.
As frases que coloquei no blog, são ultrapassadíssimas, mas inegávelmente diliciosas... só de pensar como mudaram os tempos...

...e de velha carqueja, nada, nada, nadinha mesmo!!!

Os meus avós moravam na Ajuda, na rua do Jardim Botânico e foi lá, nesse jardim, que por sinal era lindo, que brinquei muito, muito na infância... tenho saudades de lá ir. Um dia vou lá espreitar como está...

Beijos grandes!

Rafeiro Perfumado disse...

LIndas fotos, mas não percebi a razão da tristeza pela papelaria. Por vezes é tão giro ver lojas antigas. Claro que se tentarem vender papiro e penas para escrever, aí já é diferente!

turbolenta disse...

Resposta ao Rafeiro Perfumado
Sabes porquê?
Porque a lei normal é de evolução.Mas aquela parou no tempo.Reconheci as velhas prateleira ao longo de toda a loja e lá ao fundo o pequenino balcão de madeira com uma pequena vitrine frontal.O que me entristeceu foi estar tudo precisamente na mesma, como há meio século.
E olha que meio século é muito tempo na vida de uma pessoa.